terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Lady Death

 E no final ela acolhe o seu corpo frio em seus braços gélidos, cala o seus lábios em um único suspiro. Dizem que consegue sentir o gosto do seu medo e que o transforma em alívio lhe proporcionando paz.
 Senhora experiente; tem bom coração, recebe de braços abertos todos que a procuram. Às vezes dispensa alguns: Não chegou a hora! É o que ela fala, e como mágica devolve o ar aos seus pulmões e sangue as suas veias (
mas não se preocupe, pois em breve será aceito em seu imenso hotel e poderá desfrutar de sua hospedagem).
Sempre pontual, nunca se atrasa ou se antecipa. No momento exato, na hora oportuna ela estará lhe esperando, afinal para tudo na vida tem uma hora exata: a de nascer, crescer, e morrer. Ela respeita este ciclo, não atropela a ordem das coisas, afinal, seu relógio nunca falha.
 E quanto a nós? Cabe-nos esperarmos e acertar o nosso relógio vital para que este pare apenas na hora certa, e depois nos resta desfrutar do descanso eterno aquecidos pelo abraço da senhora do Gelo.
E sejam gratos, pois ela nos torna imortais. 

Dedicado à você Geraldo, meu querido avô. 01/06/2010   

4 comentários:

Ícaro Leon disse...

lindo, achei lindo. tanto o texto como a foto do seu avô. he, passar por isso é realmente horrível o / meu escritor de um novo movimento literário que irá surgir! SAHSAUHSAUHSAUH'

Firefly disse...

Uma das maiores dores que já senti, mas superei. O bom é lembrar dos momentos bons que ocorreram: Cada risada, cada mordida na careca, etc. O Resto é resto. Obrigado pelo elogio Hashi, mas não exagere, preciso estudar muito ainda para ser um bom escritor.

S.H. disse...

Dizer que sinto saudades é pouco meu vô. Eu te amo e você sempre estará aqui

Firefly disse...

Não precisa dizer, ele sabe do quanto faz falta.