quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Morto-vivo



Precisei ser morto para ser notado, passaram a enxergar-me como um fantasma, mas nunca me viram em vida, tão cheio de vida...
Precisei ter minha voz abafada por um caixão a sete palmos do chão para que pudessem ouvir minhas súplicas. Um caso perdido, afinal eu já estava morto, não havia mais o que fazer.  Ouça o canto dos desesperados, aqueles que ainda estão entre vocês, pois dos desesperados mortos, farei eu, os consolarei com o meu desespero, e verão que não são os únicos a serem invisíveis para uma sociedade hipócrita a qual pertencíamos. Quem sou eu? Não precisa aprender como se soletra o meu antigo nome, sou apenas um morto-vivo, andarilho desse mundo de almas perdidas e sedentas.

10 comentários:

Alquimista de Sonhos disse...

Cara, que texto bom!
Meio satírico, mas não deixa de ser bom.

Gostei muito daqui também ^^

Tatiane Yukie_ disse...

Amei seu texto, muito lindo! *-*

Firefly disse...

obrigado morango.

Minne disse...

Eu simplesmente estou adorando ler cada linha desses textos, tens um censo crítico e faz bom uso dele.

Firefly disse...

Tento fazer o meu melhor, às vezes alcanço o sucesso, noutras não.

Mah disse...

Você escreve muito! De verdade!
O que muitas pessoas não enxergam é que eles são pessoas como nós. Tem vida, histórias e sonhos, sonhos esses q foram dilacerados.
Já li um livro que fala a história de um.. É triste mas abre os olhos..
Beijão!

Firefly disse...

No final nós seres humanos não somos humanos, nús somos os mesmos, as proporções que nos diferenciam, mas a dor, o amor, o sangue, esta presente em todos nós. Mas para tantos somos tão iguais quanto a água e o óleo. Obrigado pela visita.

Lívia G. disse...

Isso me lembrou muitas figuras da nossa historia que foram lembrados mais depois que partiram ou que "deixaram a vida pra entrar na historia.."

Firefly disse...

precisaram ser mortas para serem notadas, como tantas outras...

Carolina disse...

amo dias Nublados me faz mt beem (:

amei o texto perfeitoo!