segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Fantasmas


Por que esses fantasmas insistem em me perseguir? Chegam de mansinho e quando dou por mim estão futucando minhas feridas que eu pensava já estarem cicatrizadas.
Cale-se, não quero ouvir sua voz e me lembrar das juras de amor que um dia me fez!
Irei me exorcizar, já joguei suas cartas foras, queimei nossas fotos, só falta apagar você de minha mente. Irei apagar você.
E você veio como um vulto e esta tomando todo o espaço, cada canto que eu vou, todo lugar que olho! Fantasmas existem, agora acredito. Não consigo respirar sem sentir o seu cheiro, que por sinal eu não me lembrava ser tão enjoado, estou sufocando.
Oh não, oh não.
O que era verde esta secando, tudo perdendo a cor, por que não volta para o passado que é o seu lugar? E assim eu continuaria com minha vidinha...
Isso, volte, volte para o seu passado. Zumpt! Como num passe de mágica você poderia sumir.
História sem fim, mania de perseguição, você é o meu karma, Zumpt! Volte para o passado que é o seu lugar.
E seria tão mais fácil fingir que você não existe e passar uma borracha em tudo que aconteceu. Você me virou de ponta cabeça e me deixou lá sozinha como em um bungee-jumping sem segurança.
Zumpt! Volte para o passado que é o seu lugar. Irei recomeçar só e não te quero como espectador.

Nenhum comentário: